Publicado em

Boleto Bancário – FEBRABAN – Nova Sistemática – Falta de Sincronismo

Em 27 de outubro de 2018 a FEBRABAN concluiu as etapas de modernização da plataforma de boletos de pagamento e encerrou definitivamente o uso do Boleto Bancário Sem Registro.

O propósito disto era também trazer mais segurança ao processo e permitir que os boletos bancários de qualquer banco pudessem ser pagos em qualquer banco mesmo quando estivessem em atraso.

Essa modernidade trouxe de imediato dois principais transtornos:

  • A necessidade de registro de boletos, mesmo quando quem emite não sabe se o boleto será pago ou não;
  • E a elevação do custo operacional do cedente, pois paga para registrar o boleto, pela permanência do registro na base de dados da instituição bancária, pelo recebimento do boleto, pela baixa do boleto bancário e mais alguns casos.

E ultimamente tenho vivenciado outro problema: A falta de sincronismo simultâneo com o banco quando o boleto bancário é emitido, decepcionando o sacado, que pega o boleto com o cedente, vai ao banco ou no internet banking para fazer o pagamento e recebe a incômoda mensagem de que o boleto não foi encontrado na base de dados do banco, tendo que esperar, às vezes, horas para fazer o pagamento de um documento que ele tem em mãos.

A questão é que quando o cedente emite um boleto bancário ele não tem a obrigação de enviar imediatamente para o banco e o que normalmente ocorre é que no fim do dia ele junta todos os boletos emitidos gera um arquivo remessa único e envia para o banco, o banco recebe, processa e registra em seu banco de dados e só à partir desse momento é que o sacado está liberado para fazer o pagamento.

O problema é que quando o sacado pega o boleto nas mãos e quer efetuar o pagamento logo para ter um problema resolvido e possa partir para outra questão, não pode fazer isto, tem que deixar o assunto do pagamento do boleto pendente, mesmo sem querer, reduzindo a sua produtividade, porque tem que ficar antenado com um assunto que já poderia ter resolvido. Vejo muitos se aborrecerem com isto.

Quando era o sistema de boleto sem registro o sacado não tinha que esperar nada, porque o banco não tinha entraves para receber. Agora além do sacado precisar de tentar várias vezes para saber se o boleto está disponível para pagamento, o sistema do banco acaba ficando mais sobrecarregado pelas tentativas dos usuários.

Para os bancos tudo bem, porque recebem mais por isto, mas para os usuários não está tudo bem, pois pagam mais caro e tem um serviço de pior qualidade.

O que a FEBRABAN deveria ter considerado é que enquanto houvesse troca de arquivos não sincronizados entre os cedentes e as instituições financeiras, não poderia deixar de existir boletos sem registro.

A FEBRABAN, já que quis modernizar, precisa pensar em mudar o processo de troca não sincronizada de arquivos para uma API que forneça Web Services que permitam ao usuário cedente fazer um registro simultaneo do boleto bancário e desta forma agilizar principalmente o lado do sacado, que está sendo prejudicado com essa mudança, mas não só o sacado, porque é um entrave que trás consigo outras consequências para a economia do país.