Rotatividade, Margem de Lucro e Preço de Venda

Existem três elementos chaves que influenciam diretamente nos seus lucros e, consequentemente, na viabilidade do seu negócio: A rotatividade, a margem de lucro e o preço de venda.

Quando esses três elementos não são considerados de forma adequada, você coloca em risco o seu negócio, o negócio do seu concorrente e, por consequência, o mercado onde o seu negócio atua e todos saem perdendo.

A rotatividade é crucial, porque é fator determinante para cálculo da sua margem de lucro.

A margem de lucro é crucial, porque é fator determinante para estabelecer a viabilidade do seu negócio e o seu preço de venda.

O preço de venda é crucial, porque tem como teto o preço de mercado que é o fator que joga por terra toda e qualquer consideração que você precisa ter com a rotatividade, com a margem de lucro e até mesmo com o preço de venda.

Parece uma equação que não tem solução, porque o que vemos no mercado é a briga constante por preço.

Parece que no fim, é o preço que se pratica no mercado que permite a empresa continuar ou não, mas acredite, não é bem assim. Existem outros fatores que são determinantes para o sucesso de um negócio e que não tem nada haver com Preço de Venda.

Portanto, pode ter certeza que é uma equação que tem solução.

Então, como resolver essa questão? É preciso ter um comportamento administrativo que considere os três elementos citados.

Observe que eu usei o termo “comportamento administrativo”, porque não basta só saber que os três elementos são importantes, é preciso ter o foco neles quando for analisar e definir o Preço de Venda, porque a sobrevivência da sua empresa depende desses três elementos e não do preço de mercado.

Qualquer empresa que estabelece o preço de venda para o seu produto de acordo com o preço de mercado está condenando o seu produto a acabar tendo que sair do mercado.

Qualquer empresa que segue o preço de mercado vai ficar cada dia pior até se enforcar e ter que optar entre se reinventar ou fechar as portas.

Muitos produtos se tornaram obsoletos e saíram do mercado, por não levarem em consideração essa equação.

Se tornaram obsoletos não porque não eram mais úteis, mas porque o preço de mercado foi achatando o lucro e o produto foi perdendo qualidade até chegar ao ponto de ter que ser substituído por um melhor.

Posteriormente, o produto que era melhor sofreu a mesma corrosão, perdeu qualidade e teve que ser substituído novamente.

Muitas empresas também tiveram que se reinventar ou fecharam as portas, por não levarem em consideração essa equação.

Tiveram que se reinventar, porque foram olhando somente preço de mercado, o que foi achatando os lucros até ao ponto em que lhes restou uma escolha a ser feita, se reinventar ou fechar as portas.

O ideal seria que todas as empresas levassem em consideração esses três fatores, porque assim todos estariam preservando o bem maior e que traria o benefício que realmente importa para todos, inclusive para os consumidores: A sobrevivência das empresas com crescimento do mercado.

Consumidor quer o melhor preço? Sim, claro. Nenhum consumidor, que valoriza o seu trabalho para ganhar dinheiro, vai comprar na primeira loja que entra.

Mas, é só preço que um consumidor procura? Claro que não. O consumidor também busca por valor, ou seja, qualidade, e não só de produto, mas também de atendimento, de pós venda, de garantia, etc.

O consumidor não é um tolo que se deixa levar somente pelo menor preço, como muitos empresários parecem pensar. E porque digo isto? Porque quase é a única briga que se vê travar. O que isto significa? Significa que o mercado está precisando de administradores conscientes de que eles e seus negócios fazem parte de uma sociedade onde todos precisam sobreviver e crescer.

Administradores de empresas que tem como meta somente a desova de produtos e o faturamento, agem com egoísmo e não levam em consideração que todos precisam do mercado para viver bem, fabricantes, revendas e consumidores, e atiram no próprio pé, porque acabam prejudicando a si mesmos e a sociedade como um todo.

É preciso que se entenda que todo crescimento sólido requer trabalho e que todo trabalho requer sacrifício e que todo sacrifício gera dor.

É possível, e tem que ser possível, uma sociedade de livre mercado se sobressair beneficiando a todos individualmente, porque uma sociedade é formada de indivíduos.

A rotatividade dos produtos é o elemento de análise mais importante para estabelecer a sua margem de lucro, mas, claro, é preciso se lembrar que existe o preço de mercado, portanto, se você não agregar valor aos seus produtos, o preço de mercado vai esmagar o seu preço de venda e você vai ter que ignorar a sua margem de lucro, e quando você ignora a margem de lucro a sua empresa quebra.

Muitos reduzem a tarefa de marcação de preços de venda a um simples índice geral que eles chamam de markup, mas essa não é melhor conduta quando você quer ter o controle de sua empresa e quer dar para ela uma direção segura em direção ao crescimento, porque não se tem uma forma racional e ponderada de se determinar com segurança o preço de venda.

O segundo elemento que usam para estabelecer o preço de venda é o shopping ou a tomada de preços nas lojas dos concorrentes, para estabelecer o seu preço de venda de acordo com o preço de mercado.

Um método que é falho, mas que muitos tem usado, principalmente para se pouparem da necessidade de administração dos preços dos produtos que fabrica ou que revende. Falho porque simplesmente não se sabe qual foi o critério ou a necessidade que o concorrente usou ou foi forçado a usar para colocar o preço de venda no seu produto.

De qualquer forma os elementos citados não são fáceis de serem analisados sem a ajuda de um sistema administrativo que considere corretamente esses fatores, porque é uma administração que se faz produto por produto.

Não basta ao sistema administrativo te mostrar os elementos para que você tome as decisões, porque dependendo do número de produtos que se revende, a administração manual torna-se quase impossível de ser feita.

É preciso que o Sistema Administrativo seja provido de inteligência artificial que colete as informações desde o momento da entrada das mercadorias até a sua entrega final nas mãos do consumidor.

Só assim, o empresário terá condições de administrar verdadeiramente o seu negócio, fazendo com que o seu negócio seja bom para ele, para o seu concorrente, para o consumidor e para o país, ou seja, para a sociedade como um todo.

Se o empresário tiver um sistema administrativo que faça essa análise e tome decisões corretas para determinar o preço de venda, a administração pode se voltar para a tarefa de agregar valor aos seus produtos com o propósito de justificar o seu preço de venda.

O propósito deste artigo não é te ensinar como trabalhar com esses elementos, até porque seria um artigo muito longo, além disto, são conceitos que, como disse acima, não dá para serem colocados em prática manualmente.

O que busco é conscientizar a todos da importância de considerar os elementos citados por serem fundamentais, para ver se surge no mercado mentalidades administrativas diferentes e algum sistema administrativo eficiente que realmente ajude os empresários e não seja somente registro de compras, vendas e baixa de estoque, contas a pagar, contas a receber, ou seja, o “feijão com arroz” que todo sistema administrativo forçosamente tem que ter.

Carrinho de compras
0

Your Cart